O cara lá de cima

Oi turma do blog,
Já estou no capítulo três, O cara lá de cima.
Depois que conclui o capítulo 13 de Novembro, passei uns dias sem escrever. Tinha coisas que eu preferi não colocar, era forte demais para um aluno ler. Não queria tornar o meu livro em um livro de terror, mas o desejo de alertar os jovens era mais forte. O compromisso com a prevenção era o que me fazia prosseguir.
Para me sentir melhor, fiz de conta que a Laila do livro era uma personagem que eu estava criando. Eu somente escrevia sobre ela, sendo assim eu torcia o tempo todo por ela e a qualquer momento podia mudar o roteiro do livro. Mas ao mesmo tempo sabia que tudo era real e que a história era minha e nada podia ser mudado. O tempo todo eu sentia um aperto no coração e vontade de terminar logo aquele capítulo sem saber como seria o próximo.
Este começo de capítulo finalmente me fez descontrair um pouco. Dei asas para imaginação e viajei no Deus que criara em minha mente.  Barrigudo, carrancudo, bigodudo, com um garfo gigante para me espertar. O purgatório cheio de pulga e um calor infernal.
Meu  Deus, como pude crer tanto assim. Minha vó conseguiu me doutrinar e passar a imagem deste Deus mal. Por muitos anos o vi assim. As balas roubadas que eu costumava comer acabavam tendo o sabor de fel, de tanto medo que eu tinha de Deus vir e me jogar no inferno pelos meus delitos.
O padre Luiz me disse que Deus era bom.
Como quem acha o mapa do tesouro, desta mesma maneira vibrei com a descoberta. Deus não era mal. Ele era um cara muito legal.

Então eu deixei de acreditar no purgatório e comecei a ver um Deus que dizia sim para tudo. Ele jamais me repreenderia, jamais puxaria o meu tapete. Eu ia crescer ser professora, encontrar o príncipe encantado e ser feliz para sempre. Eu já havia escolhido o príncipe, era um menino que morava perto da minha casa.

Era moreno, sendo que o que mais me chamava a atenção era o sorriso e a pintinha que ele tinha na boca. Não posso revelar o seu nome, mas ele foi personagem principal deste sonho. Eu pensei que o Cara lá de cima poderia me dar aquele garoto lindo e gentil para ser meu príncipe encantado.

Todas as vezes que eu achava que poderia me encontrar com ele, eu arrumava a postura porque sempre achei que menina para ser bonita tem que ter uma boa postura. Não pode sentar de qualquer jeito e tem que ter um andar elegante e não poderia ser desengonçada sabe tipo girafa ou tartaruga. Jogava o cabelo para trás para ficar mais charmoso e menos escorrido igual macarrão, depois arrumava a voz porque sempre achei que a voz é um fator fundamental na comunicação. Depois de fazer tudo isso eu passava ao seu lado e dizia:

– Oiiiiiiiii, tudo bem?

Ele me olhava com aquele olhar de tirar o fôlego e todo tímido dizia:

– Tudo bem!

Mas nunca passou disso, eu nunca tinha coragem de dizer:

– Gosto de você.

O beijo, aliás, milhões de beijos só aconteceram em minha mente quando eu sonhava acordada e isso eram várias vezes ao dia. Não conseguia concentrar-me na aula, principalmente de matemática porque estava calculando quantos minutos faltava para terminar a aula e passar pela frente de sua casa só para dizer:

– Oiiiiii, tudo bem?

Chegou um dia que eu tive que acordar pra real. Sabe quando?

Quando tive que mudar de casa. Nessa mudança de centenas de quilômetros acabaram com todas as minhas esperanças de ficar com aquele garoto bonito. Aos poucos eu percebi que o cara lá de cima nem tudo poderia dar-me… Não era bem assim…

Nessa parte ri e fiquei com pena da Laila, tanto investimento, sem retorno. Isso já aconteceu com você? ou só comigo?
Quando rompi de vez com Deus, me senti desprotegida, não tinha mais pai do céu e nem pai na terra. Era dona de mim e  na minha vida quem mandava era eu.
Foi aí que senti que o mal veio sobre mim, e as coisas começaram a desmoronar.
O que você achou deste capítulo? Como você vê Deus?

13 Respostas para “O cara lá de cima”

  1. It’s appropriate time to make some plans for the future and it’s time to be happy. I’ve read this post and if I could I want to suggest you few interesting things or tips. Maybe you could write next articles referring to this article. I want to read even more things about it!

  2. Laila Maffra disse:

    Cool!
    I apreciated!
    Hug.

  3. Laila Maffra disse:

    Obrigada… um abraço.

  4. Thaynara disse:

    laila,eu sou evangelica sou da assembleia de deus area 21 do pastor reboucas e a pastora esther(hadassa),se vc quer nos conhecer e so ir la,eu verdadeiramente amo deus,ele e a pessoa mais legal do mundo,ele e um amigo verdadeiro,nele vc pode confiar nele ele nunca te deixa na mao,quando o seu pai morreu deus queria te testar,qualquer problema que vc esteja passando nao se preucupe deus tem vitorias maiores pra vc

  5. sthefany disse:

    Laila achei bem estranho o que dizia sobre Deus esse foi o segundo capitulo que eu li achei muito bom gostei e aquela parte que vc discutia com Deus e pedia para ele te matar aconteceu comigo um dia kkkkkkk.

  6. Laila Maffra disse:

    Mas agora penso diferente. Ele existe!!!! e é maravilhoso!!!!!!

  7. Luiza Giovanna disse:

    seus pensamentos sobre Deus eram bem estranhos

  8. Laila Maffra disse:

    Realmente,eu pensava assim… rs

  9. Gabrielly disse:

    SEUS PENSAMENTOS SOBRE DEUS ERAM BEM ENGRAÇADOS!!!!!!!!!!!!RSRSRSRSRSRSRSRSRSRSR

  10. taina dos santos silva disse:

    fiz um trabalho com essa capitulo na escola

Deixe seu comentário