Querido diário outubro 2O1O

Se Não fosse o Crack… que te levou!…

Laila Maffra.

Se não fosse o Crack…
o travesseiro e o flanco da cama,
ao meu lado, não estariam vazios, há 995 noites…
sem a tua presença.
Quando te conheci,
tu pressionaste minhas mãos com as tuas.
Fitaste meus olhos intensamente,
Beijaste meus lábios e prometeste-me que ficarias ao meu lado,
todas as noites, manhãs, tardes, horas, minutos segundos…
até que a morte levasse-nos ambos, um para longe do outro.
E que até mesmo à eternidade estarias tu ao meu lado…

Acreditei eu então em tuas PALAVRAS.
Teus  olhos expressavam a força do amor que nos comoveu!…
Davas-me à imaginação grande segurança na esteira do teu fascínio encantador…

Se não fosse o Crack… Que te levou!…
Sei eu que tuas promessas e juras estariam em vigor.

E que meu coração estaria amparado pelo nosso recíproco e imenso amor.

Se não fosse o Crack… Que te levou!…
poderia ainda hoje me aninhar em teus braços, aquietar-me em tua sombra,
aquecendo-me até hoje ao calor da nossa paixão.

Agora só me resta o frio doloroso, e o silêncio tétrico, da solidão que me restou,

Se não fosse o Crack… que te levou!…

Deixe seu comentário