Renascimento parte 2

Saõ 23:20, 5 de agosto.

Numa daquelas manhãs eu me dirigi a capela, ainda com sono por não ter dormido bem a noite. Sentei-me na fileira que dava bem de frente para janela de onde se podia ver uma linda paisagem do cerrado, parecia um tapete verde. Uma árvore queimada e outra verde exuberante faziam parte do cenário, uma diferente da outra.

Meus olhos focaram nessas árvores. Uma tinha os galhos secos, o tronco estava preto como se alguém tivesse tacado fogo, a outra porém estava cheia de vida. Mas a árvore  seca e queimada me chamava atenção por manter-se de pé. Eu  olhando para aquela cena, quase deixei escapar minha reflexão  falando alto:

– “Como pode algo sem vida manter-se de pé?”

Logo em seguida as meninas começaram a tocar uma música que me trazia resposta imediata. A música dizia:

Nos galhos secos de uma árvore qualquer

Onde ninguém jamais pudesse imaginar

O Criador vê uma flor a brotar

8 Respostas para “Renascimento parte 2”

  1. Luiz Henrique disse:

    Esta parte é muito triste

  2. LARISSA BEATRIZ disse:

    eu adorei

Deixe seu comentário